Noiva bonita

Nati

Por  | 

Fotos: Adriana Oliveira

 

Nati não foi uma menina muito inspirada em princesas, sempre gostou mais de “brincadeiras de meninos” e nunca sonhou com festa de debutantes ou casamento. Depois, mais madura, essa vontade foi crescendo. Ela pensava em algo simples, na praia, com poucos amigos e um vestido leve e simples. Mas aí surgiu o casamento durante o Once Upon a Wedding e tudo mudou. “Durante todo esse processo, eu descobri que não sabia nada sobre mim mesma porque na primeira prova do vestido percebi que era exatamente aquilo que me faria uma noiva muito feliz”, conta, referindo-se ao modelo de tule criado pela Betz & Bott , com uma pegada de contos de fadas, proposta do evento, conforme sugere o próprio nome :)

“Quando recebi o croqui meu coração bateu forte. Uma das coisas que eu mais tinha definido na minha cabeça era que não gostaria de um vestido completamente branco. Quando vi que teriam flores coloridas fiquei muito feliz”, lembra. “Mesmo já tendo o modelo em mente, as estilistas me deixaram muito à vontade para opinar e mudar o que eu achasse melhor. Mas o vestido já era tão perfeito que fizemos pouquíssimas alterações. A referência que elas buscaram saiu de uma revista dos anos 50, maravilhosa! Tivemos umas cinco provas e foi tudo do jeito que eu imaginava”, completa Nati.

Sobre a beleza, a noiva queria algo com um perfume vintage, “mas que não ficasse com cara de pin-up, sabe?”. “Quando passei isso para a Vivi (Borlido), ela entendeu na essência o que eu esperava e acertou em cheio! Eu não quis véu nem grinalda. Tinha pensado em um coque desconstruído para ficar bem a minha cara do dia a dia, mas com elegância. E mais uma vez a Vivi Borlido foi impecável”, elogia.

Para completar o look, sapatos (lindossss!) Luana Zabot. O buquê (maravilhoso!) é Cetim, que também assina a decoração do evento.

 

#ficaadica

A Galeria Scenarium, onde foi realizado o casamento, é um local maravilhoso para quem quer casar no coração do Rio. Quem vê o prédio histórico na Lapa nem imagina que ali dentro tem um ambiente sofisticado e com total infraestrutura para um casamento.

O noivo é integrante da banda An Passant (Nati é a produtora). Uma boa pedida para animar a pista.

 

Nati <3 Cauê

(Nas palavras dela):

De alguma forma pode parecer uma história de contos, mas é real.

Sábado à noite em um Irish Pub em Copacabana.

Primeiro intervalo do show.

Ele desceu do palco, falou com algumas pessoas e a viu chegar. Não lembrava exatamente de onde a conhecia mas queria falar com ela. Andou em sua direção, sorriu e a cumprimentou. (Como se já a conhecesse)

Ela estava no final de um dia difícil e só queria beber e se divertir com amigos. Ao vê-lo se aproximar pensou: “Hummm gatinho!” Mas não esperava que ele falaria com ela. Meio sem reação e ligada ao instinto de ser uma garota simpática. Disse um oi acompanhado de um sorriso.

Ele percebeu que ela não o conhecia e, meio sem graça, continuo andando. Lembrou de ter sonhado com aquelas pintinhas, mas como seria possível sonhar com alguém que não conhecia?

Voltou para o palco para o segundo set do show e os olhares, marcantes desde o início, permaneceram até o final.

Pouco tempo depois das primeiras perguntas, respostas e sorrisos trocados, ele disse que estava muito cansado e que gostaria de viajar por alguns dias. Tudo que ela queria era passar um tempo longe da vida, disse que viajar seria ótimo mesmo. A conversa parecia normal, até que ele, sem pensar no que estava fazendo, a convidou para viajar pra qualquer lugar a fim de descansar um pouco longe de tudo. Ela parou por alguns segundos e teve a impressão que suas sinapses foram mais rápidas do que de costume, pensou:

– Ele só convidou porque acredita que eu não aceitaria.

– E eu não aceitaria mesmo, quem viajaria para qualquer lugar com um desconhecido?

– Nossa! A minha cara fazer uma loucura dessas! Rs

– Quer saber? O que eu tenho a perder?

Ela sorriu e respondeu: Tá bom, vamos!

Ele arregalou ou olhos, quase engasgou com o pedaço de hambúrguer que estava terminado e disse: -Sério?

Ela riu e perguntou: Seu convite não foi sério?

Ele, ainda engolindo o hambúrguer: Sim! Foi muito sério!

Ela que já estava com o maxilar doendo de tanto rir, disse: Ótimo! Te espero amanhã na Rodoviária.

Mais risadas, mais bebidas, mais conversa, mais música, o primeiro beijo, mais música, mais beijo e um táxi.

No dia seguinte, que na verdade era o mesmo dia só que mais tarde, ela tirou o celular do arroz, na esperança de que aquele mergulho no vazo sanitário do dia anterior não a impedisse de mandar uma mensagem pra ele. (Eu disse que ela estava passando por dias difíceis né?)

Mensagem enviada, mala pronta, mais um táxi, dessa vez para a Rodoviária.

Ele, que ainda não estava acreditando no que fez, deu um pulo da cama, arrumou a mochila correndo, violão nas costas e vamos lá pra mais uma aventura.

Ela, que sempre foi uma menina independente, chegou na rodoviária, ligou pra ele novamente para decidirem o destino.

Ele disse que estava no meio de uma maratona (de verdade tá) correndo pra pegar outro taxi porque o engarrafamento não deixaria ele chegar a tempo (por causa da maratona).

Eles optaram por Paraty. Passagens compradas, frio nas “rabigas” e quando faltavam cinco minutos para o ônibus partir, ela que já estava achando que tomaria um bolo e decidida a entrar no ônibus, mesmo que sozinha, sorriu ao vê-lo afobado com o violão nas costas, óculos escuros e aquela barba linda entrando na área de embarque.

Entraram no ônibus e pegaram a estrada.

Essa viagem teve início em: 20/10/14, durante o percurso eles foram morar juntos, começaram a trabalhar juntos, perceberam o que o Nosso Olhar pode contribuir para a arte, se conheceram a fundo, adotaram um filho felino chamado Café e estão prestes a subir ao altar.

O destino dessa viagem pode até se tornar o lugar de origem. Por eles está tudo bem, desde que a trajetória seja feita de mãos dadas.

 

Quem fez o que:
Vestido: Betz & Bott
Beleza: Viviana Borlido
Brincos: de família
Buquê: Cetim
Sapatos:
Luana Zabot
Fotografia: Adriana Oliveira
CerimonialLuana Coutinho Cerimonial & Eventos
Local: Galeria Scenarium

 

Tisa Jaques é jornalista e produtora de moda. Escreve sobre casamentos desde 2008. Costuma brincar que a sua missão é não deixar as noivas perdidas na linha tênue entre o brega e o chique.

Você precisa estar logado para comentar Login