Noiva bonita

Noiva Bonita: Natália

Por  | 

Fotos: Dueto Fotografia

Depois de namorarem na ponte-aérea Rio-São Paulo, Natália decidiu se mudar para a capital paulista. “Reduziríamos os momentos distantes. Daí ele se empolgou e fez um pedido formal de casamento numa viagem em julho de 2018. Na hora, gelei. Eu pensava em morar junto pra testar por uma temporada, experimentar a convivência gradual… Rs. Mas deu tudo supercerto nos meses seguintes. Aterrissar/ casar foi a coisa mais legal que fizemos e seguimos fazendo”, conta.

O vestido foi a primeira escolha. Ela trabalha com planejamento criativo, passa muito tempo pesquisando referências e como noiva não seria diferente. “As únicas decisões que conseguia tomar sobre o look eram: não usar véu, nem vestido tipo sereia. Achava lindo em outras noivas, mas pareceram escolhas que atrapalhariam meu movimento. Tudo que eu mais queria era estar confortável…“, pontua.  Para ela, seria mais assertivo comprar um vestido pronto, que pudesse experimentar, do que criar algo do zero. “Assim eliminaria (um pouco) o impulso de fazer mudanças até o último momento”, explica. “Foi o terceiro modelo que experimentei, mas me apaixonei o suficiente para confiar na permanência da escolha. É leve pra que eu pudesse dançar, e as rendas que se misturam são bem diferentes de tudo que já tinha visto. Comprei na folga de uma conferência de trabalho em Austin, nos EUA”, completa.

A maquiadora não poderia ser outra: Fernanda Gonçalves é amigona de Natália. “Não sabia como seria (o cabelo e a maquiagem), nunca sei o que vai funcionar até ver em mim mesma! Fiz da vida da Fê um inferno nos dois meses anteriores ao casamento. Mas como ela é uma amigona da faculdade, tinha intimidade pra conversar sobre. Combinamos dois momentos de prova de cabelo e maquiagem. Testamos uns seis ou sete penteados, se não me engano. Ela foi muito parceira. Só bati o martelo de cada detalhe quando me vi com o vestido no dia. Como o casamento seria à noite e o vestido não tinha brilho, senti que valia um batom mais vibrante“, lembra.

Para completar, uma grinalda linda, delicada e forte ao mesmo tempo. “Amo pedras, penso que elas nos colocam em contato com boas energias. Mas quando decidi que teria cristais nos brincos e incluir o quartzo rosa no vestido,  automaticamente desconsiderei usar uma grinalda com cristais. Achava que ficaria parecendo “conjuntinho”. Encomendei algumas flores de tecido, e adorei o resultado na cabeça. Mas na semana do casamento, bateu uma insegurança. Não tinha me visto pronta com as flores, junto dos acessórios e do vestido, que estava na casa dos meus pais no Rio. Pensei que com o buquê eu poderia parecer uma floricultura ambulante. Achei seguro ter de backup uma grinalda na linha do que eu já gostava, dos cristais. Comprei essa na CanCan Acessórios, três dias antes do casamento. Ainda bem! Com o penteado pronto e o vestido no corpo, ela fez muito sentido”, diz .

 

 

Os registros foram feitos pela Dueto Fotografia. “Eles tinham fotos maravilhosas de gente feliz, espontânea e “suada” no feed. Eu não simpatizava com as fotos plásticas que via nos feeds de outros fotógrafos de casamento. Destoavam totalmente do meu ideal para o dia. Eles também arrasam na luz. Quando falei com a Mi, me encantei pelo astral dela. Foi ótima toda a experiência. Tenho primeiras fotos lindas e posadas no pré-evento, e várias fotos “suadas” e inesquecíveis durante a noite :)“.

O local também fez toda diferença para tornar o dia inesquecível. “Sou frequentadora assídua do carnaval de rua no centro do Rio, e queria replicar a experiência no casamento. Mas como optamos pelo mês de dezembro por conta das agendas familiares, seria muito arriscado um ambiente sem ar-condicionado. Já conhecia o Cais do Oriente de outros eventos e ele é visualmente sensacional. O pé direito alto, as paredes de pedras, a localização no centro antigo do Rio. Consegui visualizar nosso casamento lá. E vale destacar que tivemos a maravilhosa Lu da Cetim como decoradora. Ela criou o conceito “botânico, iluminado e acolhedor”, aproximando da ideia original com muito verde, e transformando o ambiente da cerimônia em pista de dança em poucos instantes”, frisa.


Detalhes que encantam

“No momento que decidimos casar, sabia que não queria um ctrl c + ctrl v de outros eventos. Queria as lembranças da nossa história registradas, e queria também fazer valer a nossa escolha de investir em uma festa do ponto de vista afetivo – tanto durante os preparativos, quando no dia. Mais da metade dos fornecedores eram amigos nossos. Nossas celebrantes foram nossas melhores amigas. E quem não era amigo, eram pessoas leves e sossegadas, com quem sentíamos abertura para trocar sobre as nossas ideias. 

Nós nos preparamos com muito amor. Deixamos um espaço nos convites para escrever mensagens à mão, customizadas para cada um dos nossos 150 convidados sobre a importância deles nas nossas trajetórias. A entrada das crianças trazendo alguns detalhes da nossa trajetória foi também uma forma de aproximar as pessoas da nossa história. As fotos da cerimônia mostram um amontoado de gente, todo mundo bem perto do altar, acompanhando a nossa alegria. E era essa a intenção, que nosso casamento expressasse um ninho de aconchego e de felicidade”, detalha a noiva.  

FICHA TÉCNICA:

Vestido: Willowby by Watters

Beleza: Fernanda Gonçalves

Grinalda: a de pedras é CanCan Acessórios e as flores são da Tula Casqueteria

Sapatos: emprestados do casamento da irmã

Joias: Mari Peres

Buquê e decoração: Cetim Decora

Making of: Gerthrudes

Local da cerimônia e da festa: Cais do Oriente

Cerimonial: Livia Ganem

Fotografia: Dueto Fotografia

Vídeo: Rolo B

Identidade Visual: Lisa Akerman

Tisa Jaques é jornalista e produtora de moda. Escreve sobre casamentos desde 2008. Costuma brincar que a sua missão é não deixar as noivas perdidas na linha tênue entre o brega e o chique.

Você precisa estar logado para comentar Login